• qua. maio 18th, 2022

Fast Fashion- A febre que aquece o mundo

maio 13, 2022

Você sabe o que é Fast Fashion? Talvez até o momento não, mas tenho certeza que faz uso dela diariamente. Por isso leia com atenção essa matéria para entender o que é a Fast Fashion e como essa febre mundial está afetando o nosso planeta.

O que é a Fast Fashion?

Fast fashion ou Moda rápida, em tradução livre, é o nome dado ao fenômeno relativamente novo e em constante crescimento de produzir rapidamente grandes volumes de roupas baratas e modernas que combinam com os estilos das passarelas e das celebridades. O objetivo é colocar a roupa nas mãos do consumidor o mais rápido e pelo menor preço possível, assim que uma peça se torna moda, porém o consumidor só usa essa peça poucas vezes antes de jogar fora. Afinal, a durabilidade de uma roupa que é produzida em até 3 dias, feita com tecidos baratos e costura frágil, realmente não tem como durar mais do que uma ou duas lavagens na máquina de lavar. Agora que você entendeu o que é Fast Fashion tá na hora de pensar onde ela é vendida.

 A Zara e a Shein são as varejistas mais famosas e conhecidas desse setor. Mas é claro que existe uma infinidade de outras lojas que também vendem roupas Fast Fashion. E para identifica-las é muito simples: Repare no tecido, costura e valor das peças vendidas. Os tecidos baratos são fáceis de serem identificados e se o valor da roupa for muito baixo isso é um indicativo ainda maior de que o custo envolvido na produção daquela peça foi quase nenhum. E assim você saberá que essa loja ou algumas roupas vendidas por ela são Fast Fashion.

Mas qual o problema de comprar roupas Fast Fashion?

Bom, talvez você esteja pensando. Qual é o problema de adquirir peças bonitas, estilosas a um custo muito baixo? Então, a verdade é que existem uma série de graves problemas ambientais e socias no consumo e produção da fast Fashion. Vamos ver os principais deles a seguir:

Efeito no meio ambiente

Quando pensamos em aquecimento global a primeira coisa que nos vem a mente são os gases emitidos pelas petrolíferas e grandes empresas de setores energéticos e tecnológicos. Porém, o setor varejista Fast Fashion é um dos maiores emissores de carbono no mundo. A indústria da moda é responsável por 10% das emissões globais anuais de carbono, ou seja, mais do que todos os voos internacionais e transporte marítimo juntos, segundo o Banco Mundial. Da indústria global de vestuário de US$ 551,4 bilhões, aproximadamente 18% é Fast Fashion, de acordo com a empresa de pesquisa de mercado Business Research Company. Estima-se também que a indústria têxtil produza mais de 1,2 bilhão de toneladas de CO2 por ano a partir da fabricação, processamento e transporte, e dados os fatos a expectativa é de que isso aumente para quase 3 trilhões de toneladas de CO2 até 2030. Além disso, quase 1,5 trilhão de litros de água são usados ​​para produzir roupas novas todos os anos (água cheia de toxinas é então liberada nas comunidades locais) – o que é muito perigoso durante a atual crise global da água.

E além é claro, da emissão desses gases poluentes e nocivos na atmosfera, não podemos esquecer dos gigantescos lixões a céu aberto no mundo todo que as varejistas Fast Fashion alimentam diariamente. Estima-se que quase US$ 183 milhões em roupas acabem em aterros sanitários a cada ano. Que acabam por serem queimadas, gerando mais gases poluentes, alimento tóxico para os animais e regiões inóspitas para a vida humana e do meio ambiente existente.

Problemas sociais da Fast Fashion

Algo que passa despercebido para muitos consumidores é o quanto as pessoas estão envolvidas na produção de roupas. Pois o tecido precisa ser feito, cortado e costurado. Sim, são as pessoas que fazem todas as roupas que você compra, pois a tecelagem e as máquinas de costura são operadas por pessoas. As pessoas nas fábricas de Fast Fashion têm condições de trabalho perigosas, sendo expostas a produtos químicos tóxicos, má qualidade do ar, superlotação, salários baixíssimos. Levando as pessoas a sub-existência, acidentes graves no local de trabalho e complicações de saúde a longo prazo.

Além disso é difícil rastrear onde exatamente as empresas de Fast Fashion estão produzindo roupas, então é difícil determinar se elas usam mão de obra infantil ou escrava durante a produção.

E além de tudo isso mencionado até agora, a Fast Fashion incentiva o consumo desenfreado. Desse modo, as pessoas gastam muito além do seu orçamento por roupas que não compensam o valor e logo são descartadas. Assim, o lixo produzido aumenta cada vez mais, e por sua vez os lixões e aterros, e as pessoas continuam a comprar e por roupas fora. Um ciclo nocivo que só aumenta.

Como evitar o Fast Fashion?

Não compre roupas, invista em roupas. Podemos pensar que estamos economizando por comprar peças de roupas baratas, mas a verdade é o contrário. Como essas roupas de má qualidade não duram muito, é preciso estar sempre comprando mais e mais. E no fim, comprar 10 blusas mensalmente e ter que jogar fora logo em seguida se torna mais caro do que economizar para comprar uma blusa de boa qualidade que irá durar vários anos.

Se você deseja usar roupas realmente economizar dinheiro e ser mais sustentável, opte por peças feitas com tecidos 100% sustentáveis, como sintéticos reciclados, algodão orgânico e lyocell e não peças que tenham apenas uma pequena porcentagem de tecidos naturais. E, claro, peças de segunda mão sempre serão mais sustentáveis ​​do que comprar algo novo.

Evite comprar roupas de Fast Fashion, invista em boas peças de roupa ou peças de segunda mão. E cuide bem das roupas que você já tem. Não tem nada mais elegante do que ter roupas realmente boas e cuidar do meio ambiente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *